13 Filmes quentes para quem assistiu 365 DNI, sucesso erótico da Netflix

Lançado esta semana na Netflix (8/6), o filme 365 Dni (365 Dias, em tradução literal) entrou na lista dos conteúdos mais populares entre os brasileiros no streaming.

O sucesso do filme polonês acontece por conta das suas cenas quentes de sexo. Outro motivo é a conferência que espectadores e críticos fazem com a trilogia Cinquenta Tons de Cinza.

Neste sentido, 365 DNI ‘dá um pau’ na franquia Cinquenta Tons, fazendo o romande de Anastasia e Chistian Grey parecer comédia romântica para juvenil.

Mas, assim uma vez que reforça o paisagem sensual e erótico na trama, a produção carrega uma grande polêmica que revoltou muito o público que consome a Netflix. Mas, vamos explicar tudo por partes.

A origem de 365 DNI

365 DNI Filmes eróticos

O 365 DNI é inspirado no livro de mesmo nome, da autora Blanka Lipinska. A princípio, a escritora nunca chegou a comentar publicamente sobre a inspiração para história.

Mas, o site Londynek, que entrevistou Blanka e o ator Michele Morrone, revelou que 365 Days seria uma resposta polonesa para 50 Tons de Cinza. Não somente isso, críticas afirmaram que o livro é um 50 Tons de Cinza dentro da máfia.

Segundo o portal, o ator até comentou que as duas produções têm diferenças, mas de intensidade. “Quanto ao 50 Tons de Cinza, o filme não reflete totalmente o erotismo contido no livro. No entanto, durante 365 Days, a produção apresenta todos os detalhes picantes contidos no romance”, revela.

A história

365 DNI Filme Filmes eróticos

O filme conta a história de Laura Biel, uma jovem que viaja para a Sicília de férias com o namorado. Ela acaba sendo sequestrada por Massimo, um membro da máfia sítio, que tentará fazer de tudo para que Laura se apaixone por ele enquanto a mantém em cativeiro por 365 dias.

A saga literária de E. L. James (50 Tons) virou um fenômeno nos cinemas pelo mundo com o erotismo. Assim também aconteceu com 365 DNI, também é inspirado em um best-seller de mesmo nome, da autora Blanka Lipinska, que ainda não foi lançado no Brasil.

A produção recém-lançada na Netflix arrisca muito mais que 50 Tons. Assim, entrega nas cenas aquilo que a dupla Anastasia Steele e Christian Grey tiveram vergonha de mostrar. E, por isso, provavelmente vá atrair muito o público feminino, principalmente pelo protagonista.

A polêmica

A grande polêmica surgiu pelo trajo da história ter muito mais problemas que 50 Tons de Cinza. Muito dos que assistiram a produção ficaram chocado pelo filme dar a sentimento de glorificar a Síndrome de Estocolmo. Isto porque Laura, a protagonista, é sequestrada e é praticamente obrigada a se gostar por Massimo, seu sequestrador.

Leia mais:  16 maneiras de como se vestir bem, como um homem adulto

Dessa forma, os críticos enfatizam que, apensar das cenas de sexo em si serem muito boas, a romantização do sequentro é uma relação forçada.

Filmes quentes para quem assistiu 365 DNI

Você já viu que 365 DNI não é um filme para ver com a família inteira. Para quem se interessou pela temática erótica, fizemos uma seleção de filmes quentes na mesma vibe. São produções que têm uma boa narrativa, ainda melhor que a novidade produção polonesa (ou menos problemática) para te indicar. Confira!

Calígula (1979)

Calígula Filmes eróticos

O clássico erótico! O filme mostra as perversões sexuais do louco imperador romano Calígula. Nascente mantém um caso com sua própria mana e é casado com uma prostituta, além de organizar várias orgias e perversões sexuais em seu predomínio.

Ele também é rodeado de vários falsos bajuladores que desejam vê-lo longe do poder. O filme é uma das produções mais polêmicas já lançadas, exatamente devido a suas cenas de sexo explícito.

9 e 1/2 Semanas de Paixão (1986)

9 semanas e meia - filme

Do you wanna play a game? Kim Basinger é uma bela e sexy mulher que trabalha em uma galeria de arte e se envolve com um rico varão (Mickey Rourke).

O relacionamento é arrebatador e eles começam a praticar jogos sexuais cada vez mais intensos. Dessa forma, torna o relacionamento cada vez mais complicado e difícil de ser controlado.

Instinto Selvagem (1992)

Instinto selvagem Filmes eróticos

A rememorável cruzada de pernas. Em São Francisco, o policial Nick Curran (Michael Douglas) fica fortemente atraído por Catherine Tramell (Sharon Stone), a principal suspeita de um homicídio.

Apesar de ter consciência dos riscos que corre, Curran se expõe cada vez mais em um jogo sexual, mesmo quando novas mortes ocorrem.

De Olhos Muito Fechados (1999)

De olhos bem fechados - Filmes eróticos

Até onde vai seus ciúmes e curiosidade por explorar sua sexualidade? Um médico decide ir em procura de uma façanha sexual depois de sua esposa consentir que já sentiu desejos por outro varão.

Ao longo de uma noite, acaba encontrando com uma orgia organizada por um luminar secreto onde as mais variadas coisas acontecem. Vale a pena conferir as atuações de Tom Cruise e Nicole Kidman.

Infidelidade (2002)

Crédito: Reprodução

Porquê você lidaria com uma traição? Casada há 11 anos com um parceiro réplica, a mulher vê sua vida mudar quando conhece um jovem e bonito galicismo. A partir de logo, passa a viver um romance intenso e muito erótico.

Leia mais:  5 cortes de cabelo clássico masculino que nunca saem de moda

Intrigado, o marido contrata um detetive para deslindar quem é o amante. Quando as suspeitas são confirmadas, a vida de todos muda para sempre.

Os Sonhadores (2003)

OS Sonhadores Filmes eróticos

O erotismo revolucionário da juventude. Matthew é um jovem que, em 1968, vai estudar em Paris. Lá ele conhece os irmãos gêmeos Isabelle e Theo. Os três logo se tornam amigos, dividindo experiências e relacionamentos enquanto Paris vive a efervescência da revolução estudantil.

O filme ganha pela verso e referências do cinema e não somente pelas cenas quentes de sexo. Aliás, o ‘banho à trois’ na banheira, o dançar desengonçado de Isabelle, a banana dividida em três partes iguais, o cigarro cambaleante nos lábios, dão o tom das descobertas eróticas na narrativa.

9 Canções (2004)

9 canções - filme

Nascente filme conta o relacionamento entre um inglês e uma americana. Enquanto estavam juntos, assistiram a oitos shows e nove músicas que fizeram secção de sua história.

Considere leste uma espécie de “Nove semanas e meia de paixão”. A diferença é que ao invés de uma pegada romântica, uma narrativa mais real da sexualidade humana.

Shame (2011)

Shame - filme

Brandon é um faceta muito sucedido, viciado em sexo que mora sozinho em Novidade York. Sem relacionamento fixo, ele prefere contratar prostitutas, ver filmes pornôs no computador e seduzir mulheres em bares para leva-las para leito.

Todavia, sua rotina de viciado em sexo acaba sendo profundamente partida quando sua mana aparece de surpresa e pretende morar com ele.

Ninfomaníaca (2013)

Ninfomaníaca

O sexo encarado uma vez que doença! Mulher ninfomaníaca revela todas suas experiências eróticas para varão que a salva de um espancamento.

Porquê é um filme de Lars Von Trier, pode esperar um longa com muitas cenas de sexo explícito e nudez frontal. Agora imaginou se ele fosse o diretor de 50 Tons de Cinza?

Azul É a Cor Mais Quente (2013)

Azul é a cor mais quente - Filmes eróticos

Fundamentado em um quadrinho de mesmo nome lançado em 2010. Adèle (Adèle Exarchopoulos) é uma pequena de 15 anos que descobre, na cor azul dos cabelos de Emma (Léa Seydoux), sua primeira paixão por outra mulher. Sem poder revelar a ninguém seus desejos, ela se entrega por completo a leste paixão secreto. Enquanto isso, trava uma guerra com sua família e com a moral vigente.

Leia mais:  Músicas sobre futebol (que não são do Skank nem do Jorge Ben)

O filme conquistou a Palma de Ouro, o maior prêmio do festival de Cannes e um dos maiores do mundo. Apesar da história que foi sucesso de público e sátira, posteriormente, a produção teve uma polêmica.

Léa Seydoux fez críticas à postura do cineasta franco-tunisiano Abdellatif Kechiche, diretor de ‘Azul é a Cor Mais Quente’. Ela alegou que ele teria sido imperdoável nas demandas das cenas de sexo protagonizadas por ela e Adèle Exarchopoulos na produção.

50 Tons de Cinza (2015)

50 Tons de Cinza

Porquê efeito de conferência, não poderia permanecer de fora desta lista, apesar de ser considerado uma versão juvenil de 365 DNI.

Em Cinquenta Tons de Cinza, Dakota Johnson vive Anastasia Steele, uma estudante de literatura de 21 anos, romântica e virgem. Um dia ela deve entrevistar para o jornal da faculdade o poderoso magnata Christian Grey (Jamie Dornan).

Nasce uma complexa relação entre ambos. Com a invenção amorosa e sexual, Anastasia conhece os prazeres do sadomasoquismo, tornando-se o objeto de submissão do sádico Grey. A série transformou-se em uma trilogia.

Love (2015)

(*13*)

Murphy está malogrado com a vida que leva, ao lado da mulher e do rebento. Um dia, ele recebe um telefonema da mãe de sua ex-namorada, Electra, perguntando se ele sabe onde ela está, já que está desaparecida há meses.

Mesmo sem a encontrar há anos, a relação desencadeia uma potente vaga saudosista em Murphy, que começa a relembrar fatos marcantes do relacionamento que tiveram.

O filme causou polêmica no Festival de Cannes de 2015, com suas cenas de sexo vocal, exposições de genitálias masculina e feminina e até ejaculação.

A Criada (2016)

A criada filme

Coreia do Sul, anos 1930. Durante a ocupação japonesa, a jovem Sookee é contratada para trabalhar para uma herdeira nipônica, Hideko, que leva uma vida isolada ao lado do tio dominador. Só que Sookee guarda um sigilo: ela e um vigarista planejam desposar a herdeira, roubar sua riqueza e trancafiá-la em um sanatório.

Tudo corre muito com o projecto, até que Sookee aos poucos começa a compreender as motivações de Hideko.

É uma história de paixão inusitada, regada a ganância e fetiches sexuais. Não é à toa, que o filme é perigosamente sensual e oferta a cena de sexo lésbico mais explosiva desde Azul é a Cor Mais Quente.


Você está assistindo: 13 Filmes quentes para quem assistiu 365 DNI, sucesso erótico da Netflix

Natividade:https://portowords.com
Categoria: Noticias gerais

Leave a Reply