Adega Velha: Não sei o que tenho em Mourão, que de Mourão me estou lembrando

São muitos aqueles que vão a Mourão propositadamente para saber a Adega Velha. Chegam de todo o lado. Apesar de muito se ter escrito sobre leste restaurante, nunca é suficiente para descrever a atmosfera que ali se vive.

O Boa Leito Boa Mesa teve a sorte de estar na Adega Velha a um sábado e encontrar um cenário, que enche o coração e faz sonhar um dia viver em Mourão.

Cantadores, entre eles Joaquim Bação, o proprietário da Adega Velha, que há anos conhecemos de copo de tinto na mão, a dar dois dedos de conversa a quem queira alongar-se um pouco mais. Bento Valente, o poeta do grupo, que enche a psique cada vez que canta. Mas também José Bagage; Ângelo; o Comandante de Marinha, Ruivo; o Augusto; Cristóvão. E ainda José Maria “Bejita”, que traz o Alentejo na face, mulato de olhos verdes e capelo, porquê muitos deles usam, e exibe orgulhosamente esta epíteto de “Bejita” que há várias gerações chamam aos homens da sua família. Todos aqueles que cantam na Adega Velha têm um timbre peculiar, assim porquê o são os poemas do Alentejo.

Não é exclusivamente o cante que nos enche as medidas na Adega Velha. Toda decoração, desde as talhas de vinho ao traste de madeira escura trabalhada, na ingressão, assim porquê o quadro de Joaquim Bação junto ao teto de pé cimo ressaltado, ou as dezenas de rádios antigos que preenchem uma das paredes da Adega.

E a ementa não fica detrás do envolvente caloroso e do cenário. Cozido de Grão (€12) é evidente não podia faltar; Sopa da panela, em que o que muda é exclusivamente o ser confecionada com as sopas de pão à boa tendência alentejana em vez do grão; Sopa de cação (€12) , mas também a célebre Perdiz à Adega Velha (€16), em que a ave é guisada com tamanho de pimentão e vinagre acompanhada de batata frita, e a Lebre guisada com vinho tinto e batatas (€13).

Quanto aos vinhos, nesta Adega podemos ingerir o vinho tinto de produção própria das talhas, ou potes, (jarro de 0,7l/ €7), ou vinho branco Vila dos Gamas (0,75l/ €7).

Entre os atrativos que são o vinho, a conversa, a comida, mas sobretudo as pessoas, se for ao Alentejo, não deixe de passar por Mourão e, se for a Mourão, é preciso ir à Adega Velha (Rua Joaquim José Vasconcelos Gusmão, 13, Mourão. Tel. 266 586 443). “Finalmente são estes, todos os motivos que nos fazem lembrar sempre de Mourão.”

O Boa Leito Boa Mesa aproveitou a “boleia” e ainda foi convidado a provar o peixe do rio, feito propositadamente para um almoço de horas tardias paras os cantadores – caldo de poejos maravilhoso, perfeito, e peixe grande e bonito − e ouvir histórias, anedotas, e perceber porque o Alentejo é um lugar de tristeza e alegria, sentidas ao mesmo tempo e com a mesma intensidade feroz. É muito capaz de a sorte espreitar novamente quando se vai à Adega Velha ( Encerra domingo, ao jantar, e segunda-feira) e se tem recta a provar outro petisco único.

Acompanhe o Boa Leito Boa Mesa no Facebook e no Instagram!

Leia mais:  Coimbra: Saiba onde comer na Região Europeia da Gastronomia 2021


Você está assistindo: Adega Velha: Não sei o que tenho em Mourão, que de Mourão me estou lembrando

Manancial:https://portowords.com
Categoria: viajar

Leave a Reply