Em Santo Tirso há um novo restaurante onde os clássicos nunca passam de moda

[Fotogaleria] Surpreende a imensidão de virente que encontramos à chegada. Enfim acabamos de terçar aquela que é uma das mais industrializadas zonas do Setentrião do país, o Vale do Ave, de onde saem muitas das peças de roupa que hão de chegar às montras de todo o Mundo. E é de viagens que trata esta morada de visão internacional. Propriedade de um empresário do ramo têxtil, amante de boa gastronomia e vinhos, é talhado à medida dos apreciadores.

Resguardados por um enorme e zelo jardim, à sombra de árvores seculares, dois edifícios clássicos escondem-se da paisagem industrial. Um deles é a também recente Baiona Guest House. Mas hoje detemo-nos no prédio contíguo, em forma de meia lua, com enormes portadas brancas e vidro de supino a reles. Outrora, era cá que repousava de aventuras no asfalto uma das maiores coleções de carros clássicos da Península Ibérica, atualmente em exposição em Málaga, Espanha. Agora, a proeza começa cá fora, ao ar livre, na ampla e aprazível esplanada onde cabem 25 pessoas com intervalo de segurança, num bom estabilidade entre sol e sombra.

Pequenos grandes detalhes
O tempo está de modo para o ar livre, mas o interno é também convidativo. Logo em frente à cozinha, desenhada para poder ser visitada, há uma “mesa do chef”, com vista para a dinâmica da preparação, para já reservada a pequenos grupos.
Nas outras duas salas, a mesma elegância, em tons de virente intenso que rivalizam com a natureza exterior. Com 40 lugares, já adequados aos novos tempos, há espaço para a privacidade em mesas intimistas, resguardadas por painéis de madeira ou para relaxar nos amplos sofás de pele.

Leia mais:  Restaurantes premiados pelo guia Boa Cama Boa Mesa voltam a abrir portas

À semelhança da cozinha, apostada em trazer para Baiona o noção de um bistrô gaulês, a decoração segue a mesma traço de elegância despojada e atenção ao pormenor – de que são exemplo as louças da Vista Contente com o logótipo da morada -, com assinatura de José Pedro Vieira, responsável de projetos de interno uma vez que o Restaurante Bull and Bear, no Porto, o Bairro Cima Hotel, em Lisboa ou o Vidago Palace Hotel.

Uma caixinha de surpresas
A cozinha do Le Garage baseia-se em pratos intemporais, revelando uma epístola onde não falta comida de conforto internacional e se revela uma paixão pessoal pela gastronomia francesa. Hugo Hernâni, que apesar de jovem conta no currículo com várias experiências nacionais e internacionais, com formação de subida cozinha em França, Reino Uno, Luxemburgo e, mais recentemente, no restaurante Belcanto de José Avillez, onde chegou a sous chef, tem mão segura ao volante do Le Garage.

Sabores clássicos com base na gastronomia gaulesa, talhada para paladares rigorosos e apurados e com a estética do prato sempre muito alinhada ao sabor.
Não deve perder, nas entradas, a explosão de sabor e textura do Ovo Escocês, com músculos de porco, ovo “6 minutos” e maionese de limão (€10), o suave Tártaro de Novilho com ovo pasteurizado, alface do mar, chalotas e picante fermentado (€14) ou o aveludado Foie Gras com Ruibarbo confitado e em compota (€14).

Prossiga com o Atum “Di Caponata”, um lombo de atum, com cebola roxa, beringela, alcaparras e tomate cherry (€21) e um incontornável Tornedó Rossini, Bife do lombo com escalope de foie gras, trufa preta, pão crocante e jus de novilho (€33).

Depois dos principais, é oriundo que o gosto esteja saciado mas recomendamos que se deixe tombar na tentação de chegar ao capítulo das sobremesas. Elaboradas pela chef pâtissière Yulia Khasanova, aconselha-se mormente a Tarte de Maçã de tamanho folhada com gelado de baunilha, rebuçado de ovos e crumble de canela (€9) mas também pode optar pelo Chocolate ao Cubo: cubos de chocolate, gelado de chocolate e praliné gianduja (€9) em aromas delicados.

Leia mais:  Tasca do Joel: A nova era do mais famoso dos restaurantes de Peniche

Velocidade controlada
A garrafeira, ainda em construção mas já com uma seleção eclética de referências, algumas oriundas da garrafeira pessoal do proprietário, aposta maioritariamente em vinhos portugueses mas abrange boas escolhas oriundas de Espanha, França e Itália, a casarem muito com as propostas gastronómicas.

Desimpedido desde julho, o Le Garage avança a passos curtos mas seguros, uma vez que a sua equipa, ainda pequena mas escolhida a dedo. Se na cozinha mandam o chef Hugo Hernâni e a chef pâtissière Yulia Khasanova, a sala é domínio de Paulo Silva (ex Quarenta e 4, em Matosinhos).

Com 40 lugares no interno e 25 na esplanada, o Le Garage Bistro (Rua Chã da Raposa, 52, Vilarinho, Santo Tirso. Tel. 253480180) está sincero de terça a sábado, das 12h30 às 15h00 e das 19h30 às 22h30 e ao domingo das 12h30 às 15h00, para oferecer uma experiência gastronómica elevada de base clássica mas com bom motor para apressar.

Acompanhe o Boa Leito Boa Mesa no Facebook, no Instagram e no Twitter!


Você está assistindo: Em Santo Tirso há um novo restaurante onde os clássicos nunca passam de moda

Manadeira:https://portowords.com

Categoria: viajar

Leave a Reply