Médicos de Saúde Pública pedem ″algumas cautelas″ à população

A Associação de Médicos de Saúde Pública apelou esta sexta-feira à população para ter “algumas cautelas” em celebrações familiares e noutros contextos, lembrando que a vacina contra a covid-19 não é “100% eficaz” e que a “pandemia ainda não acabou”.

“A pandemia ainda não acabou, temos ainda uma incidência em crescendo, com particular destaque na região de Lisboa e Vale do Tejo, que não podemos ignorar”, advertiu o presidente da Associação Nacional de Médicos de Saúde Pública, em declarações à agência Lusa a propósito do aumento do número de casos e de internamentos por covid-19.

O número de internamentos e de contágios tem vindo a registar nos últimos dias um aumento, sobretudo na região de Lisboa e Vale do Tejo. A região de Lisboa e Vale do Tejo registou 274 novos casos nas últimas 24 horas, o que representa 52,7% por cento do total nacional.

Nesse sentido, Ricardo Mexia salientou a importância de se manter as medidas de proteção individual como o distanciamento físico, evitar as aglomerações de pessoas, manter uma boa higienização das mãos e o uso da máscara.

O especialista em Saúde Pública e epidemiologista adiantou que, com o aumento da cobertura vacinal, as pessoas sentem cada vez mais confiança, contudo, disse, “a vacina não é 100% eficaz”, podendo haver pessoas que podem desenvolver a doença mesmo vacinadas.

“O propósito das vacinas é evitar a doença grave e a morte”, sublinhou o especialista, explicando que as pessoas podem eventualmente ter situações “mais benignas da doença”, mas que não impede que a possam transmitir a outros.

Você leu a postagem:Médicos de Saúde Pública pedem ″algumas cautelas″ à população

Leave a Reply