Oxalá seja dia de comer em Ovar

Se for para ir ao Oxalá, ligeiro tempo de sobra… Abundoso de pratos saborosos, vinhos com saciedade e distrações certeiras, o restaurante é um caso sério de sucesso em Ovar. “Sim” à flute de espumante bairradino (“voam” tapume de 45 milénio garrafas ao ano), às fatias de presunto “de crédito” saindo da peça e caindo provocantemente na mesa, e, simples, à inacreditável mesa de “apetizers”. Há chouriço, salpicão
e queijos variados, uma vez que o S. Jorge, Limiano, com ervas, pimento ou alecrim. Ao ataque!

Levante ritual pré-refeição surgiu porque, no início, quando chovia, as pessoas cansavam-se da espera e iam embora. Fecharam o moca e abriram um espaço interno para acoitar os clientes. Dos “pãezinhos com manteiga para os miúdos”, chegou-se a leste comes e bebes que dava para nutrir um
enlace. Nas paredes, imagens de comensais e, noutro espaço, a icónica garrafeira em túnel, para a foto da praxe.

Agora sim, sobe-se à sala principal. Não há “problema nenhum” em ocupar a mesa para quatro, com a sua toalha e guardanapos de tecido. Um conforto estendido à farda, elegante e distinta, mas de suspensórios “descontraídos”. Entre sorrisos, vem a ementa e a chuva na boca… O atendimento eficiente, a explicação dos pratos e a memória em relação aos gostos do conviva
marcam “pontos”.
Amêijoa à Bulhão Pato, cremes de legumes ou de marisco (€4,50) – leste confecionado com o caldodo mesmo -, camarões tigre grelhados e flamejados (€22,50), gambas ao proveniente e o siri gratinado são entradas possíveis. De ano para ano, o Oxalá afina o concepção e aprimora a experiência. Joga
trunfos uma vez que a missiva de vinhos, que abrange todas as regiões e apresenta-se num tablet, onde se colocam informações sobre cada vinho. A garrafeira possui mais de 2200 referências.

Leia mais:  Saiba quem ganhou duas noites no hotel Torel Palace Lisboa

O funcionário aproxima-se com a proposta principal e a dimensão da travessa é uma surpresa. Não há ilusão, é mesmo a “meia ração” de peixe fresco pedida. O Robalo selvagem e a Garoupa grelhados (26,50/ração por 47,50) acompanham com legumes. Ainda nos peixes, tem Salmão grelhado com tigre médio (42,50), o Polvo vernáculo à Lagareiro (€42,50), o Arroz de tamboril com gambas (€44, 50), o Bacalhau privativo gratinado ou à Lagareiro. Para duas pessoas, a Sinfonia Marítima (desde €49,50) e a sua “variedade de seis ou sete” peixes grelhados.
Nos mariscos, realce para as Gambas à angolana, o Camarão à Oxalá e a Feijoada de marisco (meia ração por €26,50). Os amantes da músculos têm o Naco de vitela na brasa (com arroz, batata frita, feijoeiro preto e salada) e os Miminhos à Oxalá, (€28,50/ração por €43,50). Acrescente o Tomahawk de
novilho com osso (€49,50). O Oxalá tem desenvolvido e já vai com seis salas, algumas para refeições mais privadas em ambientes acolhedores.
O famoso Pão de ló de Ovar, de volume húmida, remata a repasto no Oxalá (Rua Família Colares Pinto, Ovar. Tel. 256591371). Retire o laço e veja uma vez que “transborda” o delicioso recheio de ovos moles!

Acompanhe o Boa Leito Boa Mesa no Facebook e no Instagram!

Você está assistindo: Oxalá seja dia de comer em Ovar

Manadeira:https://portowords.com
Categoria: viajar

Leave a Reply