Restaurante Ponta do Garajau: cheira bem, cheira a lapas e peixes dos Açores

Pega-se nos búzios e põe-se ao ouvido. Dizem que se consegue ouvir o mar… São trazidos pelos pescadores e decoram as mesas do Restaurante Ponta do Garajau, na Ribeira Quente, ilhéu de São Miguel. Quando se abre o portão, por entre os canteiros de camélias, já se entrou na ‘sala’, que é todo o espaço exterior, parcialmente tapado por um ‘telheiro’. Pisa-se a passeio em direção a uma das mesas corridas, de madeira criptoméria pintada de preto, até ao conforto dos bancos almofadados.

A funcionar desde 2003, nascente é um restaurante sazonal, cândido de março ao final de outubro, todos os dias ao almoço e ao jantar, profundidade em que se acendem os candeeiros a petróleo. Penduradas nas paredes de pedra, as redes voltam a vincular ao mundo dos mares. Convém lembrar que o porto de pesca fica a escassos 100 metros e que a pescaria continua a ser o principal meio de subsistência das gentes da terreno. Retiram-se as cartas de dentro da garrafa, estilo “message in a bottle” recuperada do oceano. Desenrolam-se, quais testemunhos longínquos prestes a serem desvendados, e dá-se início à repasto.

Estando disponíveis, aposte nas Cracas (€20/Kg). “Têm o sabor fidedigno do mar” e servem exclusivamente com molho de limão. “Se vem miúda não paladar de servir, gostamos de boas cracas”, explica a gerente, Ana Maria. As Lapas (€14,50) são outro pitéu, grelhadas e servidas com molho de manteiga, polvilhando-se com limão a paladar. Regra de ouro é virem para a mesa a fervilhar, senão “têm de se fazer de novo”. É que, além dos clientes que as pedem, há todos os outros para seduzir: “Saem com aquele fumo e aquele cheiro, passam pelos clientes e logo a seguir começam vir [mais] pedidos de lapas”. Uma vez que alternativas, para transfixar o gosto, tem os queijos, a Morcela com ananás (€9,50), o Camarão (€28,50/Kg) a Salada de polvo em vinagrete (€6,50). A sangria ou a muy açoriana Kima maracujá são opções para transfixar, secundadas por um vinho.

Leia mais:  Alentejo: sete tascas para comer, beber e conviver

No Restaurante Ponta do Garajau, na Ribeira Quente, serviço é atencioso, disponível para ouvir o cliente e ajustar os pedidos, centrados nos peixes pescados nos Açores. Pode ir acompanhando com o típico bolo sertã, feito com farinhas de milho e de trigo. Os Chicharros fritos (desde €7,50/meia ração) são um dos emblemas da moradia e vêm com batata cozida, molho verdejante (base de óleo e vinagre, salsa e cebola) e molho vilão (óleo e vinagre, alho e pimenta da terreno). E há um buffet de saladas também ao dispor. O Boca Negra (€15), grelhado ou frito, o Alfonsim (€15) grelhado, o Atum braseado (€16) e a Ventre de atum, ambos com batata guloseima, são outras propostas. Se houver espaço, não passe ao lado do Polvo assado no forno, com batata redondinha assada e arroz branco, um verdadeiro regalo! Considere ainda o Filete de Peixe-Porco (€14) com arroz de tomate, a Abrótea frita (€13) e o Lírio grelhado (€16). Para os apreciadores de mesocarpo, o menu inclui o Naco de mesocarpo de vaca e o Frango grelhado, com batata frita.

No Restaurante Ponta do Garajau (Rua Frederico Moniz Pereira, Ribeira Quente. Tel. 296584678) termina-se com os gelados Ponta do Garajau (baunilha com calda de frutos vermelhos) e Muito Me Sabes (baunilha com compota de amora), ambos servidos em doses generosas. Ou logo com o Arroz guloseima, a Tarte da Graciosa e a Tarte de feijoeiro. As calorias queimam-se caminhando pela marginal ou pelo areão da Praia do Lume.

Acompanhe o Boa Leito Boa Mesa no Facebook, no Instagram e no Twitter!


Você está assistindo: Restaurante Ponta do Garajau: cheira bem, cheira a lapas e peixes dos Açores

Manancial:https://portowords.com

Categoria: viajar

Leave a Reply